àrea de notificações àrea de notificações àrea de notificações àrea de notificações

Nenhum outro registro encontrado!
Email enviado com sucesso!
Falha ao enviar o email!
19/11/2012 10h07

Menor é assassinado a tiros no bairro Bom Jardim

Vítima possuía passagens pela polícia; crime pode estar ligado ao tráfico de drogas

Na manhã de ontem, militares realizavam patrulhamento nas proximidades do local do crime       
(Crédito: Gizelle Ferreira)



IPATINGA
– O assassinato do adolescente Hatus Henrique Silva Barbosa, 14 anos, pode ser mais um dos homicídios relacionados ao tráfico de drogas. Ele foi executado com dois tiros na rua Margarida, esquina com a rua Dália, por volta de 21h40, no bairro Bom Jardim, na noite do último domingo (18).

Testemunhas contaram que a vítima passava pela rua quando dois indivíduos em uma motocicleta vermelha aproximaram-se do menor. O garupa da moto sacou um revólver e efetuou vários disparos contra o jovem, que foi atingido no maxilar e do lado esquerdo do peito. Hatus chegou a ser socorrido com vida por uma equipe do SAMU, e levado ao Hospital Márcio Cunha, mas não resistiu.

PATRULHAMENTO
Ainda na manhã de ontem, militares realizavam patrulhamento nas proximidades do local do crime. No momento em que a reportagem estava na rua Dália, uma equipe do sargento Moreno realizava a abordagem em dois jovens conhecidos de Hatus. Um deles disse que a vítima era considerada “atrevida”. Por não haver nada contra a dupla, os rapazes foram dispensados.

DETIDOS
Dois principais suspeitos do crime foram detidos. A polícia descobriu junto a testemunhas que 20 minutos antes de ser assassinado, Hatus teria sido abordado por uma viatura policial em companhia de R.P.S., 21 anos, suspeito de estar envolvido na execução. Os dois estavam em uma moto vermelha, placa HKW-3870. Os militares foram até a casa do suspeito e, ao saírem da residência, depararam com ele. R. disse à polícia que estava assistindo TV na casa de A.D.M., 27 anos, também apontado como suspeito do homicídio.

O segundo acusado foi encontrado em sua casa e contradisse a versão dada por R. Ele alegou que o colega esteve na porta de sua casa e não mencionou que ambos teriam assistido a TV juntos. Outro indício que levou a polícia a suspeitar da dupla é uma ligação no telefone de R., às 21h29 da noite de domingo, discado do aparelho celular de A. Os dois acusados foram encaminhados para a Delegacia de Polícia para prestarem esclarecimentos.

PROBLEMÁTICO
Apesar da pouca idade, Hatus já possuía diversas passagens pela polícia, por tráfico de drogas e roubo. Para os familiares que receberam a reportagem na rua Amazonas, endereço da vítima, o fim do adolescente já parecia ter sido anunciado.

A prima de Hatus, Raquel Ferreira Rocha, 28 anos, disse que a família inteira já sabia que garoto aprontava pelas ruas, mas avalia que nada justifica o assassinato. “Desde os 13 anos ele tinha envolvimento com drogas. Acho que se ele tivesse devendo alguma coisa ele teria falado. Porque ele tinha muito medo. Todo mundo tentou ajudá-lo, sempre teve de tudo, no entanto ninguém entende por que ele foi para essa vida”, lamenta a prima.

Hatus foi visto pela última vez na noite de domingo, por volta de 20h, ocasião em que a irmã mais nova dele (que estava fazendo aniversário) teria pedido para que ele não saísse de casa. No mesmo dia, Raquel lembra que Hatus chegou a fazer um pedido para a mãe. “Ela comprou uma roupa que ele pediu e ainda não usou”, finaliza.


Violência não para
Timóteo
– Neste domingo (18), foram registradas duas tentativas de homicídio. No início da madrugada, Ranyellson Quintão Batista, 22 anos, saiu ileso de um tiroteio quando teria ido buscar drogas na rua Cinco, no bairro Planalto II.

A vítima foi até o local em companhia de sua namorada para comprar uma porção de maconha. Porém, acabou se desentendendo com o fornecedor da droga depois de ter ficado enciumado. Segundo relatou à polícia, o homem teria elogiado a mulher na frente dele. Momentos depois da discussão, o acusado do atentado se retirou do local e retornou armado com um pedaço de pau e uma arma de fogo.

Ranyellson, percebendo que iria ser agredido, correu e pulou o muro de uma residência, quando teria ouvido disparos de arma de fogo e por sorte não foi atingido. Por causa da queda que sofreu ao pular o muro, a vítima teve pequenos cortes no braço direito, na perna e joelho. Segundo a polícia, foi realizado intenso rastreamento, mas o acusado não foi encontrado.

Na rua Aracaju, no bairro Veraneio, em Santana do Paraíso, mais uma vítima da violência. Marcos Souza e Silva, 26 anos, foi socorrido por populares ao Hospital Márcio Cunha, em Ipatinga, após ser baleado no abdômen em um bar. Testemunhas contaram que a vítima teria se desentendido com um rapaz de 23 anos, que efetuou dois disparos contra a vítima. O suspeito ainda não foi achado.

COMPARTILHAR:
leia Edição Digital
assine agora!
25_11_2014_23_36_14 25_11_2014_23_36_14

últimas

Subir
Descer
» Publicidade
Banner Cenibra
PUBLICIDADE

Shopping

topo SIGA Fique por dentro das últimas notícias

Redação

Interag

Av Juscelino Kubitschek, 1290Jardim Panorama Ipatinga-MG / CEP:35164-245 - diariopopular.redacao@gmail.com

Telefone: (31)3827-0369

Google Maps
© 2000-2014. Jornal de Verdade.