Esportes

Ajudôu adere a movimento que pede socorro ao esporte de Minas

Sem ajustes na legislação, projeto deixar de beneficiar mais de 600 crianças; Lei não disponibiliza recursos, mesmo com empresas dispostas a fazer isenção fiscal

IPATINGA – O fundador e Diretor Executivo do projeto Ajudôu, Júlio César Lana Jaques, manifestou seu apoio ao movimento “O Esporte de Minas pede Socorro”, que luta contra a falta de recursos que afeta diretamente milhares de crianças no estado e o cenário esportivo para os mais pobres.

Júlio César Lana destaca que o projeto Ajudôu, com o apoio da Lei Estadual de Incentivo ao Esporte, já beneficiou cerca de 6 mil crianças com aulas gratuitas de esporte desde 2014. No entanto, ressalta, hoje enfrenta um problema: a lei atual não está acompanhando a crescente demanda por vagas e projetos.

Segundo Lana, “mesmo com empresas dispostas a ajudar, não há recursos suficientes disponíveis pela lei. Isso significa que, neste ano, milhares de crianças e adolescentes perderão a chance de participar de projetos sociais esportivos. Somente o Ajudôu deixará de atender 600 crianças neste ano. É frustrante ver recursos disponíveis e empresas prontas para contribuir, mas presas por limitações legais. Precisamos de mudanças para garantir que mais crianças possam se beneficiar”, lamenta Lana, ao mesmo tempo em que sugere alterações na legislação.

“É urgente revisar a lei – prossegue – para garantir que os recursos estejam alinhados com a demanda real, ampliando o alcance do Ajudôu e de outros projetos. Ações conjuntas de autoridades, empresas e sociedade civil são necessárias para construir um futuro onde o esporte seja acessível a todos”, conclui.

Você também pode gostar

PHP Code Snippets Powered By : XYZScripts.com